Poesia, Cordel e Cantoria emociona e diverte o público

#

A quinta apresentação, que fechou o bloco Poesia, Cordel e Cantoria, nesta sexta-feira (16), despertou muitos sentimentos no público presente. Alguns dos estudantes do Centro de Educação de Jovens e Adultos da Asa Sul (Cesas) lembraram da infância no Nordeste do país com os poemas de Patativa do Assaré e de João Bosco Bezerra Bonfim, mediador e curador do projeto Poesia em Voz Alta. Já o causo contado por Valdenor de Almeida, um dos poetas convidado para essa segunda série de apresentações, rendeu muitas risadas.

Carmelinda Ribeiro Lobato, 57 anos, se lembrou da roupa que o pai usava - peitoral, perneira, gibão -, descrita em um dos poemas. "Fiquei muito emocionada, porque essa história, que é do nosso Brasil, faz parte da minha história de vida, da vida da minha família. Tem uma poesia ali que é a história do meu pai. Eu vivi isso", conta Carmelinda, que é de Corrente (PI).

"Fiquei muito emocionada, porque essa história, que é do nosso Brasil, faz parte da minha história de vida, da vida da minha família. Tem uma poesia ali que é a história do meu pai. Eu vivi isso"
Carmelinda Ribeiro Lobato, estudante do Cesas

Assim como em outras apresentações, os alunos perguntaram de onde surge a inspiração para escrever poemas ou para os repentes e cantorias. Valdenor explicou que os versos do repente são improvisados e João Santana acrescentou que, apesar disso, é preciso estudar as características técnicas dessa expressão artísticas e estar preparado para falar sobre qualquer assunto, já que muitas vezes os pedidos vêm da própria plateia.

João Bosco Bezerra Bonfim falou sobre a criação dos poemas. "O poeta precisa pesquisar, não existe uma inspiração divina", explicou. Ele detalhou que, em diversos dos poemas que escreveu, uniu histórias que ouviu no Nordeste à de Brasília. "A poesia tem essa vantagem: a gente vai condensando as emoções."

O presidente da Associação Nacional de Escritores (ANE), Fabio de Sousa Coutinho, acompanhou a apresentação e destaca o sucesso do projeto. "Estamos educando por intermédio da cultura", resume. "Estamos popularizando a poesia, o que é extraordinário para uma arte tão esquecida e tão negligenciada. Estamos levando a poesia para um público que raramente tem acesso a esse tipo de manifestação cultural", completa.

"Estamos popularizando a poesia, o que é extraordinário para uma arte tão esquecida e tão negligenciada. Estamos levando a poesia para um público que raramente tem acesso a esse tipo de manifestação cultural"
Fabio de Sousa Coutinho, presidente da ANE

A apresentação desta sexta´-feira foi a última das cinco do espetáculo Poesia, Cordel e Cantoria, que estreou em 9 de setembro. O terceiro e último espetáculo do projeto Poesia em Voz Alta - Poesia, Memória e Resistência - estreia na próxima sexta-feira (23) e contará com a presença da poeta Cristiane Sobral. O projeto teve início em 26 de agosto, com o espetáculo Poesia para Brasília, com Alexandre Pilati e Anderson Braga Horta.

# #
assinaturasAPRESENTAÇÃOPROMOTORA